Revistas Consorciadas

Autor: Angel Torres Toukoumidis -Traduzido por; Mirelle S. Freitas

O processo de globalização chegou à esfera acadêmica de diversas maneiras, entre elas estão o acesso aberto, a concorrência de múltiplos idiomas, as redes sociais científicas , e, consequentemente, as revistas consorciadas.

As revistas consorciadas emergem a partir da necessidade de agrupar aquelas pertencentes a áreas temáticas de estudo afins com a finalidade de habilitar novos espaços de publicação para autores, outorgar maior visibilidade internacional e aumentar a transparência dos processos editoriais. Afinal, se busca constituir redes especializadas de publicações periódicas, independentemente de provirem de universidades, órgãos governamentais ou associações científicas que estejam interessadas em maximizar sua difusão.

Consorciadas

O consórcio de revistas se fundamenta principalmente em três aspectos:

  1. Intercâmbio de revisores: Sabendo que as áreas de conhecimento se mantem em constante diversificação, ter publicações associadas facilita o contato com perfis de especialistas em diferentes temáticas.
  2. Notificação da publicação de novo número: Mediante uma comunicação constante entre os editores das revistas consorciadas se apresentam versões em preprint (colocar link do post da comunicarautores), próximas convocatórias e novos números.
  3. Promoção da revista no sitio da web: Se Inclui o vínculo e logotipo na página principal do sitio da web da revista consorciada.

Por sua vez, a revista científica Comunicar, pioneira nesta iniciativa, contem certas políticas para um potencial consorcio. Entre elas destaca-se que o acordo se formaliza com revistas de acesso aberto que contenham pelo menos versão eletrônica (versão física é optativa) e que se encontrem indexadas em no mínimo uma vintena de bases de dados incluindo plataformas de avaliação de revistas, hemerotecas seletivas, buscadores de literatura científica e catálogos de bibliotecas internacionais. Atualmente, conta com o consórcio de revistas como Mediterránea de Comunicación, Fonseca. Journal of Communication, RIED. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, Diálogos de la Comunicación, Alteridad. Revista de Educación, entre outras.

Definitivamente, reconhecendo que a Scopus contem 293 revistas de comunicação. O feito de lograr um consórcio entre os 10% não só significará um progresso para a ciência e um avanço para elas mesmas, mas também para os milhares de autores que buscam a oportunidade de divulgar suas investigações.

Anúncios

Sobre Lilian Ribeiro

Lilian Vieira da Rocha Ribeiro (Universidade de Huelva/Espanha) Doutora em Comunicação (Educomunicação & Media literacy); Mestra em Linguística Aplicada (Univ. de Brasília-Brasil); Licenciada em Letras (Faculdade Castelo Branco); Coordenadora da equipe de tradução espanhol-português da Escola de Autores da Revista Comunicar.
Esse post foi publicado em Sin categoría. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s